Primeira Oferta de moeda digital no Brasil

O Brasil deve receber sua primeira oferta de moeda digital no mês de novembro. A investida será feita pela empresa OriginalMY

A empresa OriginalMY deve fazer a primeira oferta inicial de moeda (ICO, na sigla em inglês) no país no fim de novembro. A companhia, que oferece soluções de validação, assinatura e reconhecimento de documentos virtuais por blockchain, visa captar o equivalente a US$ 1 milhão com a oferta.

Essas ofertas são uma forma de captação pública de recursos em que o investidor compra “tokens” – ativos virtuais emitidos pelas companhias-, que podem representar valores mobiliários ou “fichas” de uso dos produtos ou serviços que a companhia oferecem. No caso da OriginalMY, o cliente recebe esse “utilitário” para uso na plataforma da empresa.

Nós iniciamos com uma demanda muito específica… como uma empresa de 200.000 pessoas, precisamos entender mais sobre o blockchain e das tecnologias em torno. Nós acreditamos que ele pode realmente mudar a forma como os nossos clientes operam e como operamos…

Eric Piscini, Diretor Deloitte Consulting

O público-alvo da emissão, segundo Edilson Osório Jr, presidente da OriginalMY, são empresas que queiram validar seus documentos via blockchain. “Para o nosso [ICO], esperamos que o público seja de empresas que adquiram esse tíquete, com bastante volume, para consumir minha plataforma, meus produtos”, afirma.

Para participar da captação, o investidor deve pagar em criptomoedas, fazer cadastro e pedido no site da empresa. Por não emitir ativos que representem valores mobiliários, segundo o executivo, a oferta não deve passar pelo crivo da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

 

REGISTRO DE AUTENTICIDADE

Também conhecido como BitRegistro ou Prova de Autenticidade para Documentos Digitais. Qualquer documento digital pode ter sua existência comprovada através de um carimbo de tempo fornecido por um blockchain público. Conteúdos como obras de arte, declarações, propostas, relatórios e qualquer outro tipo de documento.